Logo - Alimentos Processados

Logo - Plataforma de Inovação Tecnológica do ITAL

Comunicação com a sociedade

Entre as várias formas de comunicação dos avanços científicos, em específico, a divulgação dos resultados de pesquisas sobre as relações dos alimentos com a saúde, considerando os ingredientes utilizados, embalagens e formas de processamento, assumiu enorme importância diante do crescente interesse da sociedade sobre o assunto. 

No entanto, no sentido de oferecer informações confiáveis e acessíveis para a população, vários aspectos devem ser observados nessa tarefa, alguns dos quais aqui apontados.

A influência das mídias sobre os consumidores

Em 2010, num estudo sobre comunicação, o pesquisador Sparling concluiu que “a mídia atua como uma ponte entre a pesquisa básica e o comportamento do consumidor”. Por isso, notícias sobre possíveis impactos de determinado alimento sobre a saúde costumam ter grande repercussão entre os consumidores, provocando mudanças comportamentais.

Porém, nem sempre tais mudanças são orientadas no sentido de melhorar a qualidade e saudabilidade da dieta alimentar. Isso pode ocorrer de acordo com a forma com a qual são divulgados os resultados de pesquisas científicas, muitas vezes sem considerar os tipos e limitações das pesquisas que os geraram.

Influência da midia sobre o comportamento de consumo de alimentos

Tipos e limitações das pesquisas científicas sobre alimentação

Existem vários tipos de artigos elaborados a partir de resultados de pesquisas científicas sobre alimentação. Entretanto poucos conseguem estabelecer uma relação de causa e efeito entre a ingestão de um alimento e seu possível impacto sobre a saúde. Mesmo assim, alguns tipos de estudo conseguem oferecer evidências científicas mais “fortes” que outros, como é o caso do Estudo Clínico Randomizado Controlado.

Devido às diferenças marcantes entre os artigos científicos, na divulgação para a sociedade essas diferenças têm que ser levadas em consideração. A mídia especializada faz esse discernimento. Entretanto, de forma não intencional, as mídias sem especialização tendem a elaborar mensagens distorcidas e equivocadas, que podem provocar confusão ou influenciar negativamente as pessoas nas suas decisões de compra e consumo de  alimentos e bebidas. Isso porque os consumidores que não estão familiarizados com a terminologia nem com a dinâmica  científica, não conseguem diferenciar se a informação recebida é proveniente de uma mídia especializada ou não.

ESTUDO CLÍNICO RANDOMIZADO CONTROLADO Experimento feito com humanos, comparativo, quantitativo e controlado, no qual os investigadores estudam intervenções em grupos de indivíduos selecionados de forma ramdomica.

Os artigos científicos sobre um determinado assunto costumam ser analisados em conjunto, com o objetivo de verificar se há uma convergência de resultados, ou seja, se a maior parte dos artigos obteve resultados semelhantes. Estas análises de conjunto de artigos são denominadas como revisões, as quais podem ser simples, revisões sistemáticas ou meta-análises, conforme a metodologia adotada para realizar a revisão.

As conclusões tiradas a partir das meta-análises e das revisões sistemáticas são mais robustas porque são fruto da análise sistemática de centenas ou milhares de artigos científicos, com emprego ou não de ferramentas estatísticas. Todos os autores das meta-análises e revisões sistemáticas fazem observações destacando eventuais limitações de seus trabalhos, como por exemplo, a grande heterogeneidade dos trabalhos científicos, gerando dificuldade para compilação e generalização dos resultados.

META-ANÁLISE extração de informação adicional de dados pré-existentes através da união de resultados de diversos trabalhos e pela aplicação de uma ou mais técnicas estatísticas. É um método quantitativo que permite combinar os resultados de estudos realizados de forma independente e sintetizar as suas conclusões ou mesmo extrair uma nova conclusão (http://w3.ufsm.br/modelanimal/index_arquivos/page0002.htm). É uma ferramenta que permite buscar informações consistentes em estudos com propósitos muito diferentes e cujas descobertas são geralmente contraditórias, especialmente nas áreas de nutrição e medicina.
REVISÃO SISTEMÁTICA revisão planejada e estruturada para responder a uma questão específica valendo-se de métodos explícitos e sistemáticos para identificar, selecionar e avaliar criticamente os estudos, e para coletar e analisar os dados destes estudos incluídos na revisão. Métodos estatísticos (meta-análise) podem ou não ser utilizados na análise e na síntese dos resultados dos estudos incluídos. Com toda esta estrutura, a revisão sistemática tenta evitar tendenciosidade.
REVISÕES análise descritiva dos trabalhos estudados sem a aplicação de ferramentas estatísticas.
ARTIGOS CIENTÍFICOS base para todos os tipos de revisões, eles normalmente abordam um determinado produto ou grupo de produtos e utilizam métodos e técnicas para testar uma hipótese e chegar a uma conclusão.

Impactos indesejáveis da comunicação: consumidor induzido ao erro

Conforme o Código de Defesa do Consumidor, SEÇÃO III, Da Publicidade, Art. 36:

O fornecedor, na publicidade de seus produtos ou serviços, manterá, em seu poder, para informação dos legítimos interessados, os dados fáticos, técnicos e científicos que dão sustentação à mensagem.

É enganosa qualquer modalidade de informação ou comunicação de caráter publicitário, inteira ou parcialmente falsa, ou, por qualquer outro modo, mesmo por omissão, capaz de induzir em erro o consumidor a respeito da natureza, características, qualidade, quantidade, propriedades, origem, preço e quaisquer outros dados sobre produtos e serviços.

O ônus da prova da veracidade e correção da informação ou comunicação publicitária cabe a quem as patrocina.

Um problema ocorre quando os tais dados fáticos, técnicos e científicos não têm a capacidade de dar sustentação consistente à mensagem veiculada. Quando isso acontece, os consumidores podem:

Impactos indesejáveis da comunicação: consumidor confuso

Outro problema ocorre quando os tais dados são contraditórios em contraposição a outros dados anteriormente divulgados sobre o mesmo tipo de alimento ou ingrediente alimentício.

A confusão já atinge grande parcela da população brasileira. Pesquisa da empresa Health Focus  International revelou que 51% dos entrevistados declararam que estão confusos diante da saturação de mensagens sobre o que deve ou não comer, contendo informações que estão sempre mudando.

Impactos indesejáveis da comunicação: danos à imagem de empresas e marcas

A divulgação de resultados não conclusivos de pesquisas pode também provocar danos à imagem de empresas e marcas de produtos comercializados.

Informações inconsistentes quando divulgadas de forma recorrente tendem a formas os mitos e preconceitos  sobre determinados tipos de produtos alimentícios.  Isso tende a fomentar antipatia  de alguns  consumidores em relação a estes produtos e até mesmo rejeição dos mesmos para consumo, apesar destes produtos  contarem com a aprovação das autoridades reguladoras e serem considerados seguros para consumo.

Impactos indesejáveis da comunicação: descrédito das autoridades reguladoras

As comunicações que divulgam determinados produtos ou ingredientes alimentícios como sendo não saudáveis e inseguros para consumo colocam em cheque a confiabilidade das autoridades reguladoras que aprovam a comercialização destes produtos.

É preciso observar que as autoridades regulatórias no país contam com profissionais capacitados, que realizam um trabalho rigoroso e competente para assegurar que os produtos comercializados sejam seguros para consumo e cumpram com as eventuais propostas de benefícios alegadas pelos fabricantes. Todo esse trabalho sério fica comprometido quando ocorre uma afirmação de que algum destes produtos provoca danos à saúde humana ou, por outro lado, que proporciona um benefício que não é reconhecido pela autoridade regulatória.  

Infelizmente, o descrédito em relação às autoridades regulatórias é de interesse de quem ganha com a comunicação sem critérios científicos consistentes.

Quem ganha com a comunicação sem critérios científicos consistentes?

Se o problema fosse apenas de natureza técnica poderia ser facilmente resolvido. Porém,  a propagação de informações sem o devido cuidado torna-se interessante em algumas circunstâncias específicas: