Logo - Alimentos Processados

Logo - Plataforma de Inovação Tecnológica do ITAL

Corantes

O emprego de corantes nos alimentos processados tem grande relevância. Os corantes são usados para reforçar a cor já existente nos alimentos e para garantir uniformidade de coloração de um produto ao longo do tempo, uma vez que variações ocorrem como, por exemplo, entre estações. Também são empregados para dar cor a alimentos virtualmente incolores como gelatinas e dar cores alegres a balas e confeitos. Embora proporcione uma característica sensorial subjetiva, a cor é fundamental na indução da sensação global resultante de outras características, como o aroma, o sabor e a textura dos alimentos.

Contudo, principalmente na última década, a tendência à naturalidade tem levado as empresas a substituírem os corantes sintéticos, apesar destes serem atestados como seguros para o consumo humano pela legislação vigente, bastante rigorosa e baseada em critérios científicos. Além disso, não existem pesquisas que demonstrem de forma convincente que os corantes naturais sejam mais saudáveis que os sintéticos nem que os sintéticos apresentem riscos à saúde.

A utilização de corantes naturais tem trazido vários desafios para a indústria de bebidas, principalmente com relação à estabilidade e à translucidez. Em muitos casos, a aparência dos produtos formulados com corantes naturais não é visualmente tão atrativa como no caso dos que empregam corantes artificiais, fato que vai exigir dos consumidores um maior grau de flexibilidade em relação a esse quesito. Há também a necessidade de a indústria administrar os custos finais dos produtos, uma vez que, na média, os corantes naturais são mais caros.

Exemplos de corantes naturais desenvolvidos pelas indústrias de ingredientes.

  • Corante concentrado de cenoura roxa, permite ampla gama de tons vermelhos com alta estabilidade e livre de sabor residual desagradável.
  • Corante rosa elaborado a partir da mistura de antocianinas de frutas e vegetais.
  • Corantes de urucum e carmim.
  • Concentrados de frutas, vegetais e plantas.
  • Corantes extraídos de frutas, vegetais, ervas e especiarias.
  • Corante azul de fonte natural.
  • Ingrediente idêntico ao carotenoide vermelho natural, para uso como corante em alimentos e bebidas.
  • Forma solúvel de curcumina.
  • Corantes concentrados naturais de tons vermelhos obtidos de cenoura negra.
  • Corante natural produzido por extração de cristais de licopeno de tomates maduros.