Logo - Alimentos Processados

Logo - Plataforma de Inovação Tecnológica do ITAL

Redução de Perdas (Food Waste)

As tecnologias de alimentos são essenciais para manter sistemas alimentares eficientes e capazes de garantir o abastecimento da população nas próximas décadas. A aplicação dessas tecnologias na produção industrial tem sido orientada por sistemas específicos de qualidade, segurança e sustentabilidade como, por exemplo, HACCP e as normas ISO. Entre os objetivos da aplicação destes sistemas de controle de manufatura, estão a segurança e qualidade dos alimentos produzidos, redução de perdas e resíduos, melhor aproveitamento das partes comestíveis dos alimentos, aproveitamento das partes não comestíveis para outras finalidades, redução das emissões de gases de efeito estufa, menor utilização de água nos processos, menor gasto de energia por alimento processado, entre outros. 

A redução de perdas e resíduos na industrialização de alimentos tem recebido especial atenção por motivos internos, como a redução de custos, como também por seguir orientação externa de atendimento às políticas públicas que enfatizam a necessidade de reduzir as perdas de alimentos e a geração de resíduos para minimizar os impactos ambientais e garantir a segurança alimentar, ou seja, o abastecimento de alimentos das gerações futuras.

IMPORTANTE DESTACAR:

As metas de redução de perdas de alimentos e disposição de resíduos em aterros demonstram que indústria de alimentos tende a se tornar um dos elos mais eficientes e menos impactantes em todo o sistema alimentar.

Além da redução de perdas e resíduos na produção, as indústrias de alimentos e bebidas não alcoólicas têm realizado esforços para estimular a redução nas cadeias produtivas onde atuam, desde os produtores de matérias-primas até os lares dos consumidores.

EMPRESAS

COMPROMISSOS E REALIZAÇÕES 

Fontes

Barilla

  • Meta para 2020: atingir zero geração de resíduos para aterros nas instalações industriais. Em 2017: geração de resíduos inferior a 10%;
  • Parceria internacional com rede Carrefour visando a redução de desperdício de alimentos;
  • 92% dos resíduos gerados na produção de Molhos, são enviados para reciclagem.

Brf

  • O controle de resíduos sólidos visa a redução, reciclagem e reuso de materiais em toda a cadeia de valor;
  • Realiza separação de resíduos orgânicos para seu aproveitamento em compostagem para produção de fertilizantes.

Cargill

  • Colabora com o World Resources Institute com o objetivo de incorporar o Protocolo Food Loss & Waste Protocol’s em seu inventário global de resíduos;
  • A partir de 2014, estabeleceu parceria com a Gastromotiva, organização sem fins lucrativos que busca melhorar a igualdade social e as oportunidades de emprego por meio da gastronomia, com foco na redução do desperdício de alimentos;
  • Desenvolve o Projeto 1/3, que objetiva contribuir para conscientizar as pessoas para o grande desperdício de alimentos no mundo. Em 2017, equipes da empresa participaram de eventos em 30 países, conectados ao World Food Day;
  • Desde 2010, o Programa Ação Renove o Meio Ambiente da Cargill, em parceria com redes de supermercados, shoppings, empresas, ONGs e prefeituras para implantação de mais de 1000 pontos de coleta de óleo residual em dez estados brasileiros, bateu a marca de três milhões de litros de óleo vegetal usados coletados e transformados em matéria prima para novos produtos mais sustentáveis, como biodiesel, combustível de fonte limpa e renovável.

Coca-Cola

  • Participa da plataforma #SinDesperdicio (http://sindesperdicio.net) destinada a contribuir para reduzir as perdas e desperdícios de alimentos por meio de quatro eixos de trabalho: projetos inovadores, políticas públicas em nível nacional e local, geração de conhecimento e hábitos de consumo responsável. A plataforma, coordenada pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento, tem parceiros estratégicos como a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), a Rede Global de Bancos de Alimentos, o Consumers Goods Forum (CGF) e o World Resources Institute.

Danone

  • Meta para 2025: Reduzir em 50% a intensidade (kg de resíduos de alimentos não recuperados/toneladas de produtos vendidos) de resíduos de alimentos não recuperados (Base: 2016);
  • Em 2017, redução de 10,7%; Área industrial: redução de 12,0%; Cadeia de suprimentos: redução de 9,7%.

Ferrero

  • Há muitos anos, mantém compromisso de reduzir resíduos em suas atividades, alinhada aos princípios da economia circular;
  • No período 2016-2017, a taxa de recuperação de resíduos foi de 95,0%.

General Mills

  • Meta para 2025: Alcançar zero disposição de resíduos em aterros em 100% das instalações de produção próprias;
  • Meta anual: reduzir a geração de resíduos sólidos em 3% nas instalações de produção próprias;
  • Em 2017 (ano fiscal), 84% da produção global de resíduos sólidos foram reciclados, 13% foi descartada e 3% foi processada para recuperação de energia;
  • Ao final de 2017 (ano fiscal), sete instalações fabris (14% do total global) atingiram a meta de zero disposição de resíduos em aterros;
  • Apoia várias iniciativas para combater o desperdício no consumo de alimentos (fazer compras, preparar e comer) e seu descarte;
  • Desde 2014, por meio da MealConnect, recuperou e distribuiu mais de 575 milhões de libras de excedentes de alimentos em parceria com 90 bancos de alimentos, e apoiou mais de 4.200 organizações sem fins lucrativos de combate à fome desde 2014;
  • Participa ativamente de grupos sem fins lucrativos, governamentais e da indústria focados na redução do desperdício de alimentos e na recuperação de excedentes de alimentos, incluindo a Food Waste Reduction Alliance, ReFED Advisory Council, Foundation for Food and Agriculture Research, Grocery Manufacturers Association and AMERIPEN.

Hershey

  • Meta para 2025: Reduzir a quantidade de resíduos gerados em 25% (Compromisso ambiental “25 por 25”).

Kellogg

  • Meta para 2020: redução do total de resíduos nas instalações fabris em 15%, com foco em desperdício de alimentos. Em 2017: redução de 2,5%;
  • Meta para 2025: Doar 2,5 bilhões de porções de alimentos em 6 continentes, por meio de centenas de bancos de alimentos e outros programas. Em 2017: 569.950.393 de porções;
  • Até 2030, contribuir para a redução pela metade do desperdício global per capita de alimentos no varejo e no consumidor, e reduzir as perdas alimentares ao longo das cadeias produtivas e de fornecimento, incluindo pós-colheita (alinhado com o SDG nº 12.3 da ONU). Até 2017, Redução absoluta de 4,7% nas operações de fabricação; - 2,9% de redução normalizada nas operações de fabricação; - 20,4 toneladas métricas de resíduos alimentares/vendas líquidas.

KraftHeinz

  • Meta para 2020: Reduzir a pegada ambiental (emissões de gases de efeito estufa, energia, água e resíduos para aterro) em 15% (Base: 2015, por tonelada de produtos);
  • Em 2016, geração de 0,0092 toneladas métricas de resíduos dispostos em aterros. (2015: 0,010 toneladas métricas);
  • A partir de 2016, seis instalações fabris obtiveram o status de resíduo zero para disposição em aterros.

Mars

  • Meta para 2020: resíduo zero para disposição em aterros nas operações diretas.

Mondelez

  • Meta: redução de resíduos na fabricação em 20%. Em 2017, 15% de redução.

Nestlé

  • Mantém compromisso público para reduzir a perda de alimentos e desperdício, de modo a garantir o suprimento das matérias-primas agrícolas de sua origem, gerar impacto positivo na sociedade, apoiar o desenvolvimento rural, a conservação da água e a segurança alimentar. Esse compromisso estabelece três linhas de atuação: Prevenção, minimização e valorização; Informação e educação; Envolvimento e parcerias com stakeholders;
  • Desde a sua fundação em 1866, contribuiu para reduzir o desperdício de alimentos, transformando matérias-primas perecíveis como leite, café em pó e cacau em produtos alimentícios mais seguros, mais saborosos e com mais valor agregado;
  • Desde 2008, cortou pela metade, por tonelada de produto, a quantidade de resíduos descartados gerados em suas fábricas;
  • Para prevenção, minimização e valorização concentra esforços em: Eco-design (avalia e otimiza o desempenho ambiental, inclusive no desperdício de alimentos, desde o estágio inicial no desenvolvimento de produtos novos ou renovados e em toda a cadeia de valor; procura por opções inovadoras de recuperação de resíduos para otimizar seu valor); Fornecimento Responsável (De acordo com o Código Nestlé, os fornecedores devem otimizar seu consumo de recursos naturais e minimizar os resíduos sólidos, incluindo o desperdício de alimentos); Fabricação e Distribuição (melhora contínua da eficiência operacional para gerar menos desperdício. Nas fábricas e centros de distribuição, a meta é o zero descarte de resíduos até 2020);
  • Assume compromisso de promover parcerias e envolvimento de longo prazo com autoridades reguladoras, cientistas, clientes, parceiros de negócios, organizações da sociedade civil e a comunidade, para definir, implementar e avaliar soluções para evitar perdas e desperdício de alimentos.

Pepsico

  • Meta para 2025: Atingir resíduo zero para disposição em aterros nas operações diretas;
  • Meta para 2025: Reduzir resíduos de alimentos em 50% nas operações diretas.

Unilever

  • Assume o compromisso de seguir os princípios da Nutrição Sustentável, entre os quais a redução do desperdício de alimentos e embalagens do campo à mesa;
  • De 2008 a 2017, houve redução de 98% dos resíduos enviados para aterros sanitários. Em relação aos resíduos associados ao descarte de seus produtos, a diminuição foi de 29%. No Brasil, toda operação (fábricas, centros de distribuição e escritórios) já atingiu a marca “Aterro Zero”;
  • Mantém rígida política de fornecimento responsável e exige que seus parceiros tenham uma política de gestão de resíduos. Já para incentivar os consumidores a darem destinação correta aos resíduos a companhia lançou, em 2001, em conjunto com o Grupo Pão de Açúcar (GPA), o programa pioneiro Estações de Reciclagem Pão de Açúcar Unilever. Em seus 17 anos, o projeto coletou mais de 110 mil toneladas;
  • Por meio da marca Hellmann’s, lançou campanha contra o desperdício de alimentos (https://www.youtube.com/watch?v=D8z0GwFj1sk);
  • No exterior, realizou a campanha #DontWasteFood, em parceria com a FAO e Carrefour, para incentivar a população a evitar o desperdício de alimentos;
  • Em 2015, ajudou a formatar a Consumer Goods Forum (CGF) Food Waste Resolution;
  • No período 2016-2017, trabalhou com o CGF e o World Resources Institute (WRI) para desenvolver metodologia de medição da pegada de resíduos de alimentos nas operações diretas;
  • Em 2017, em 165 operações de produção de alimentos, houve redução de 37% da disposição de resíduos de alimentos por tonelada de produto fabricado, em comparação com 2016 (2017: 228 gramas;2016: 363 gramas);
  • A maior parte dos resíduos de alimentos gerados é enviada para reuso, reciclagem ou recuperação de energia. Em 2017, apenas 0,54% dos resíduos de alimentos foi disposto em aterros, esgotos ou incineração sem recuperação de energia;
  • Desde 2014, trabalha com a Federação Européia de Bancos Alimentares (FEBA), ajudando bancos de alimentos a desenvolver e ampliar seu alcance através da organização de programas educacionais, assistência financeira, compra de novos equipamentos etc.